Eletrorresistividade

A Eletroresistividade é um método geofísico não destrutivo que utiliza a terra como a resistência de um circuito elétrico, em que a variação da Voltagem medida em pontos específicos da superfície fornece a resistência elétrica aparente de um determinado trecho do subsolo, a partir do conhecimento da amplitude de uma corrente injetada no terreno.

A Eletroresistividade possui especial utilização na localização de regiões contaminadas e na determinação da espessura de camadas do subsolo.

Esse método geofísico aplica uma corrente elétrica artificial que é introduzida no terreno através de dois eletrodos com o objetivo de medir o potencial gerado em outros dois eletrodos nas proximidades do fluxo de corrente. As relações entre corrente elétrica, potencial elétrico e disposição geométrica dos eletrodos no terreno permitem calcular a resistividade real ou aparente em subsuperfície.

O parâmetro resistividade é o inverso da condutividade elétrica, e pode ser considerado como a resistência dos materiais em conduzir a corrente elétrica. A resistividade de solos e rochas é afetada principalmente por quatro fatores:
- Composição mineralógica;
- Porosidade;
- Teor em água;
- Quantidade e natureza dos sais dissolvidos.

Dentre esses fatores, os mais importantes são, sem dúvida, a quantidade de água contida e a salinidade dessa água. O aumento do valor desses fatores, teor de umidade e quantidade de sais dissolvidos, leva a uma diminuição dos valores de resistividade.


Vantagens

• Determina solo mole - argila;
• Estratifica materiais geológicos (seções de camadas);
• Determina a profundidade do topo rochoso;
• Determina a profundidade do nível freático;
• Identifica falhas e fraturas;
• Identifica limites de valas, lixões e aterros;
• Intrusão salina;
• Delimita zonas com contaminantes inorgânicos.